Skip to content

Defecando (mais uma vez) em cima da Física Quântica

junho 16, 2014
by

A emissora de TV que já deu espaço para Cosmos e Poeira das Estrelas resolve abraçar o sensacionalismo barato e tenta produzir reportagens sérias e confiáveis como a do ET Bilu de sua concorrente TV Record, mostrando que a TV brasileira pode sim chegar ao nível internacional de um History Channel.

Estou falando aqui dessa reportagem, da TV Globo. Aparentemente uma família escuta barulhos no telhado e isso vira notícia. E pra piorar, eles resolvem relacionar com espíritos. Pra piorar ainda mais, a equipe de reportagem resolve chamar um suposto físico para dizer que tudo isso aí é explicado pela misteriosa “física quântica”.

coco

Vamos do básico: Física quântica é a ciência que estuda os objetos e partículas muito pequenas. Assim como a astronomia estuda astros e a biologia estuda formas de vida, a física quântica possui suas ferramentas matemáticas e conceituais específicas para estudar o que acontece nas menores escalas da matéria. Mais sobre isso, aqui.

É verdade que muita coisa da física quântica parece ser contra-intuitiva. Por exemplo, quando estudamos o movimento de partículas como elétrons ou prótons, a própria ideia de “movimento” e “trajetória” já é bem diferente do que estamos acostumados quando falamos do movimento de uma bola de futebol. O determinismo clássico, isto é, o poder de previsão do que exatamente vai acontecer nos instantes seguintes deixa de valer, e uma descrição probabilística começa a entrar em jogo.

Isso NÃO significa que, por ser probabilístico, qualquer coisa vale. Já disse aqui e repito. O fato de uma moeda jogada para cima ter apenas chance de ser cara ou coroa não implica que exista a possibilidade da moeda se transformar num dragão verde e sair cuspindo fogo por aí. Da mesma forma, um elétron pode estar com esta ou aquele spin, mas isso não significa que ele contenha a essência de Deus ou esteja em contato com espíritos do além, ou qualquer bobagem assim.

Não quero entrar num ataque ad hominem profundo ao físico entrevistado. Vou só me restringir ao fato de que ele nunca trabalhou com física quântica, ou com qualquer ramo da física, para ter ideia do que é isso. Seria algo como um sujeito formado em enfermagem sair por aí em rede nacional falando que vacinas carregam Shub-Niggurath para dentro da pessoa. Sim. É a esse grau de ridículo comparativo que o entrevistado (e a reportagem) chega. Pra ficar mais divertido, o cara resolve falar de “dimensões” e outros universos. O conhecimento dele se restringe a um nível de documentários do Discovery Channel e filmes B de ficção científica. Só isso. Não há nada nas afirmações dele que se assemelham, nem mesmo pouco, com hipóteses de dimensões extras exploradas por pesquisadores sérios.

Sim, pesquisadores sérios utilizam hipóteses da existência de dimensões extras para explicar fenômenos físicos reais. Mas nenhuma dessas pesquisas sérias sobre física de partículas ou de dimensões extras explica fenômenos paranormais. Simplesmente porque fenômenos paranormais não existem. Ou pelo menos todos os casos já documentados até hoje podem ser explicados muito bem por coisas bem naturais. Se esses fenômenos se encaixam em alguma ciência, é a da psicologia, no estudo de demência, alucinação ou outros efeitos similares.

E por que existe essa onda loca toda com física quântica? Simples. Porque é uma ciência ainda desconhecida para boa parte da população. Então é fácil falar qualquer bobagem a respeito. Você tem a chance de ter pessoas acreditando nas suas mentiras. Esse tipo de coisa não é novo. É comum em livros escritos no século 19 e 18 pessoas relacionando fenômenos paranormais e espirituais com “magnetismo” ou “eletricidade”. Magnetismo e eletricidade era a ciência nova da época. Por mais que equipamentos eletrônicos já fossem cada vez mais utilizados, a ciência por trás ainda era um grande mistério. Hoje esse mistério diminuiu pois um básico desses assuntos são estudados no ensino fundamental e médio. O que evita (mas não elimina completamente) que pessoas saiam associando esses fenômenos com hocus pocus.

Mais uma vez, me decepciono com esses “jornalistas” (merecem as aspas para não serem confundidos com os profissionais sérios – aparentemente em extinção – que existem por aí), que fazem qualquer coisa por atenção. Bom, pelo menos, de mim, ganharam. Me pergunto se o lema deles não é simplesmente “falem mal, mas falem de mim”.

Para uma curta explicação de como dimensões extras são hipóteses estudadas seriamente por pesquisadores do mundo todo, assistam a esse meu video:

Anúncios
17 Comentários leave one →
  1. Thiago M. Guimarães permalink
    junho 17, 2014 12:10 am

    cara, você anda lendo Lovecraft?

    • D-Dimensões permalink*
      junho 17, 2014 1:47 pm

      Li só algumas coisas, mas tem tempo. Só quis soar cult 😉

  2. julho 10, 2014 11:13 am

    Mais um leigo em física aqui (eu) fazendo perguntas inúteis. rs
    O chamado espaço-tempo não é considerado a quarta dimensão?

    • D-Dimensões permalink*
      julho 14, 2014 12:07 am

      O Jefferson. Na relatividade, o espaçotempo é um espaço de quatro dimensões, e não “a” quarta dimensão. Por exemplo, um cubo possui 3 dimensões, altura, largura e profundidade. Se você adicionar uma quarta, por exemplo o tempo, você terá um espaço de 4 dimensões.

      • fevereiro 15, 2016 10:37 pm

        E como se adiciona uma quarta dimensão ao cubo?
        Na prática, o que é um espaço de 4 dimensões?

  3. dezembro 28, 2014 1:26 pm

    O fato de alguns mestres zen explicar a física quântico a seu modo a seus seguidores, mostra o quanto é falho a nossa educação. O nosso ensino é extritamente materialista, começamos o estudo de física assim: matéria é tudo que tem massa, solido, pode ser medido, tocado etc. etc. Mas quando uma pessoa descobre que o eletron, que tem massa, também é onda, bum a cabeça explode e já serve para o místico dizer que o mundo “físico” não existe, é um mundo criado pela percepção que “escolhe” a parte partícula porque é conveniente. Que pode existir várias “frequencias” onde está Deus, anjos demônios etc. Então as pessoas pensa que a Ciência tá servindo ao Capital, tá escondendo o jogo, etc. e isso faz sentido prá caramba, embora prá você na sua opinião é apenas merda.

    • D-Dimensões permalink*
      dezembro 28, 2014 7:19 pm

      Oi Storvs,
      concordo bastante com você. Mas eu não sou tão odioso como você me fez parecer no final. Eu não culpo o leigo que cai nessa conversa fiada, mas sim aquela pessoa que se faz valer de um diploma para falar bobagem ou intencionalmente ou acidentalmente (o que me faz questionar a qualidade do tal diploma).

    • fevereiro 7, 2017 8:13 pm

      Como vocês sabem que o elétron tem massa ?
      Vocês conseguem distinguir as forças envolvidas nesse processo ?

      A força eletrostática é a atração ou repulsão que o elétron exerce
      sobre os átomos carregados positivamente ou negativamente, diferente da força gravitacional, que é causado pela tal massa do elétron em relação a matéria.

      Me expliquem isso, como é possível medir a massa do elétron se ele é constantemente influenciado pela força eletrostática ?
      Pra mim a massa do elétron não tem o mínimo tem sentido, e questiono sobre isso: e se o elétron não for uma partícula e sim uma força fundamental que compõe o átomo?

      No meu ponto de vista abaixo do átomo não existem partículas e sim forças fundamentais que compõe o átomo, como a eletricidade e magnetismo.

      Partículas me remetem a ideia de que o átomo possui em sua composição ingredientes materiais.
      Se o elétron é uma partícula, então de que tipo de matéria o elétron é composto?

      O elétron é eletricidade, uma força que compõe a matéria, está além da matéria, e portando não tem sentido dar ao elétron propriedades materiais e chama-lo de partícula, que possui massa.
      Tudo o que possuiu massa pode ser analisado sob a lógica da mecânica newtoniana.

      O elétron pode ser analisado sob a lógica newtoniana ? Não né ?
      Então, logicamente, o elétron não tem massa.

      Bom , agora vocês podem me chamar de louco, e me rotular como aquele que renegou as bases fundamentais da Mecânica Quântica.

      Pra concluir, peço que me provem que o elétron tem massa, hehehe.
      Que tipo de balança, experiemento ou equação pode medir a massa do elétron ?

      Sir Joseph John Thomson, o descobridor do elétron, mediu a massa do elétron com um experimento muito maluco.
      Mas duvido dos resultos, pois como disse, como podemos diferenciar a força eletrostática do elétron da força gravitacional da sua “massa” ?

      • fevereiro 7, 2017 10:40 pm

        Ah, só pra completar, duvido da existência das tais partíclas quânticas, duvido que o átomo possua esse zoológico de partículas, como quarks, léptons, bósons, etc.

        Todos os detectores dentro dos aceleradores de “partículas” são circuitos feitos de átomos.
        Então questiono, o que os átomos dos detectores do acelerador podem detectar?
        No meu conhecimento geral de 29 anos na área da Eletrônica constatei que os átomos em um circuito detector podem “sentir” o magnetismo, a eletricidade, e o eletromagnetismo.

        E isso quer dizer que em um circuito detector feito de átomos, seja ele qual for, não é possível detectar diretamente um bóson, ou um quark, ou um lépton, etc.

        Mesmo em um contador Geiser, os prótons não podem ser detectados diretamente.

        A detecção de prótons é feito indiretamente, o detector Geiser acusa uma corrente elétrica quando o próton é detectado.

        O nêutron também não pode ser detectado diretamente, sua detecção precisa ser convertida em eletricidade também.

        Enfim, na verdade nenhuma partícula quântica no acelerador de partículas foi realmente detectada, o que ocorreu foi uma suposta influência das tais partículas quânticas nos circuitos detectores no interior do acelerador.

        Tudo, absulutamente tudo, dentro de um acelerador de partículas, precisa ser convertido em sinais elétricos para ser “visto” pelo computador, NÃO EXISTE DETECÇÃO DIRETA DAS TAIS PARTÍCULAS !

        Agoro eu pergunto, essas partículas realmente existem?

        Se existem, ou elas são feitas de eletricidade, ou são feitas de magnetismo, ou de eletromagnetismo, ou seja, essas são as forças que um circuito detector feitos de átomo pode detectar no contexto do acelerador.

        Veja só, até mesmo a tal detecção das ondas gravitacionais é feita indiretamente atrevés de um laser !

        Pra finalizar deixo claro que isso é um ponto de vista pessoal, e evidentemente para os adeptos da Física Quântica pode parecer um grande delírio.

        Mas se alguém quiser me explicar como um circuito detector feito de átomos detecta um bóson, fique a vontade.

        Pois quero tentar entender que tipo de força é um bóson, e que tipo de influencia ele causa em um circuito detector feito de átomos para gerar sinais elétricos.

        Mas até que alguém me explique isso, duvido da existencia dos tais bósons, ou qualque outra partícula exótica inventada pela Física Quântica.

  4. levi permalink
    maio 19, 2015 6:31 pm

    Vai estudar mais que você não sabe o que está falando! Antes de sair postado o que pensa!!!

    • fevereiro 8, 2017 7:45 am

      Por que não podemos dizer o que pensamos? Por acaso estamos no tempo da Inquisição, correndo o perigo de sermos queimados na fogueira dos hereges, pecadores e blasfemadores?

      De fato dizer o que se pensa pode ser algo perigoso, pois como diria Martin Luther King, “Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa”.

      Concordo que estudar é muito importante, mas para fazer ciência não basta apenas estudar e ser curioso, é preciso ter um mínimo de ceticismo, e isso inclui o ceticismo em relação os conceitos preestabelecidos pela própria ciência.

      No momento em que acreditamos em tudo o que a ciência prega, sem questionar nada, a ciência deixa de ser ciência e se torna uma religião.

      Já pensou se os conceitos e teorias científicas se tornassem dogmas? Nesse caso ficaria difícil dizer o que se pensa sem ser acusado de heresia científica, não é mesmo?

      E se Copérnico e Galileu não tivessem duvidado da ciência daquela época? E se eles tivessem acreditado cegamente que o Sol gira ao redor da Terra?

      Para fazer ciência é preciso duvidar do que está estabelecido, então cuidado para não levar tão a sério os livros de ciências, pois os livros podem ser superados por novas visões científicas.

      É claro que diversos conceitos científicos permanecem válidos perante o teste do tempo, pois a Terra ainda circunda o Sol, a gravidade ainda nos mantém presos ao solo, a teoria da evolução com certeza faz mais sentido do que o criacionismo, etc .

      Mas muita coisa na ciência pode ser questionada, revisada, reinterpretada, etc.

      Enfim, a parte mais legal da ciência é podermos duvidar da ciência e dizer o que pensamos.
      Logicamente isso não siginica que nossos pensamentos serão aceitos numa boa, sem contestação.
      Mas isso faz parte, pois ninguém é obrigado a concordar com o que pensamos, certo ?

  5. abigobaldo permalink
    junho 2, 2015 11:17 pm

    leiam mais e falem menos

  6. anonimo permalink
    outubro 15, 2015 6:27 pm

    Sim, pesquisadores sérios utilizam hipóteses da existência de dimensões extras para explicar fenômenos físicos reais. Mas nenhuma dessas pesquisas sérias sobre física de partículas ou de dimensões extras explica fenômenos paranormais. Eu diria que ainda não explica, no futuro podemos encontrar a partícula elementar e explicar muitos fenômenos considerados paranormais…

  7. Michael permalink
    novembro 15, 2015 12:12 am

    Não sei o pq da imagem com o símbolo da fisica como uma merda

  8. fevereiro 15, 2016 10:45 pm

    “Da mesma forma, um elétron pode estar com este ou aquele spin, mas isso não significa que ele contenha a essência de Deus ou esteja em contato com espíritos do além, ou qualquer bobagem assim.”

    Esta parte do seu artigo, representa a sua opinião.

    Concordo plenamente com você, quanto à física ser uma merda.
    Porém, não é só a física, a biologia e outras ciências beiram as merdas religiosas.
    A culpa disto, são seus malditos seguidores ortodoxos e fundamentalistas, me refiro aos ateus e religiosos.

  9. junho 29, 2016 10:12 pm

    ai ai , nem sei o que falar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: