Skip to content

Comentário Recebido em “Michio Kaku: Desinformação Numa Casca de Noz”

outubro 5, 2013
by

Um comentarista que se apresentou como Bruno deixou um relato que achei que merecia destaque nessa discussão sobre a divulgação científica sensacionalista. Decidi postar aqui.

Vou contar toda uma história aqui. Desde o começo do ano eu venho estudando para o vestibular, inicialmente eu queria fazer medicina, mas já nas primeiras semanas do cursinho, ao relembrar como é gostoso estudar física, eu mudei de ideia: vou fazer física.

Mas o que isso tem a ver com o post? Então, eu acredito que não há lugar melhor que um cursinho para saber o quanto as pessoas tem aversão à física. Muito devido a crença comum de que é uma coisa de outro mundo, só para loucos, aquela velha história.

Lá, a gente tinha um professor que sempre procurava demonstrar na prática, em sala mesmo, como certas coisas funcionavam (por exemplo um sistema de polias). No entanto, outras aulas de física eram massantes ao quadrado. O professor de uma dessas aulas (física no cursinho é dividida em 4 frentes: A, B, C e D), a mais chata, por sinal, começou um assunto novo na disciplina dele: Física Moderna. É um prato cheio para entusiasmar qualquer um, até mesmo os odiadores de física.

Entretanto, foi uma terrível decepção para mim, pois além de o modo de ensinar nos cursinhos ser o da lavagem cerebral, no pouco espaço que este professor usou para conversar sobre a física, ele só cuspiu sensacionalismo científico e misticismo (buraco de minhoca, a mente humana muda a realidade ao seu redor, etc) e deixou na cabeça dos alunos, pela forma como ele expôs a matéria, que Einstein foi um herói, um mito, descobriu tudo sozinho e é o dono da porra toda. Eu parecia adivinhar de onde vinha todo aquele discurso dele, mas nem deu tempo de ficar com dúvidas, pois logo em seguida ele recomendou que quem tivesse interesse que procurasse no History por alguns documentários de um japonês simpático, Michio Kaku.

Aonde eu quero chegar com isso? Ora, se até um professor (tudo bem, de cursinho, mas mesmo assim) cai nesse papo de documentário de desdivulgação científica, imagine o tanto de gente que acaba acreditando no que é veiculado por porcarias como o History. A busca irrefreável pelo lucro desses veículos deixa de lado o que é ciência para vender fantasias de um mundo cor-de-rosa no qual cientistas são nossos heróis, verdadeiros paladinos solitários, portadores da bondade e da sabedoria suprema, e nos faz enxergar beleza no que não existe e desprezar a verdadeira beleza que é a ciência real de fato, como ela é feita e como ela é sempre refeita.

No cursinho mesmo eu vi pessoas dizendo que ciência não era para eles, que precisava ser super inteligente, e que pessoas comuns não conseguiriam fazer grandes descobertas. Pessoas discutindo como seria quando conseguíssemos achar um dos inúmeros portais para viajar pelo espaço-tempo, gente comentando que viu documentários deste Kaku e elogiando sua inteligência (“precisa ser muito inteligente para saber física”), etc.

Concluindo, a física pode maravilhar as pessoas, mas desta forma como ela é divulgada (History e afins) não vai fazer nada mais além disso. Ou talvez faça, deixe pessoas acreditando em um monte de bobagens místicas.

Ufa!, espero que alguém leia, pelo menos.

7 Comentários leave one →
  1. Ricardo Santana permalink
    outubro 5, 2013 6:15 pm

    Olá, caro “autor”. É fatídico que determinadas formas de divulgação científica não merecem muita credibilidade, pois estão mergulhadas em um mundo de sensacionalismo barato e um jogo de poderes irrefreável. Entretanto, há de se considerar que tais programas, normalmente, despertam a curiosidade de muitas pessoas, que a partir daí, procuram mais informações sobre o assunto, mesmo que acabem se deparando, em alguns casos, com uma realidade contrária ao que aprenderam em outros meios. De toda forma, por mais que a veiculação de programas ditos científicos não sejam ‘cientificamente’ apurados, as externalidades por eles causadas não são de toda más.

    • Rafael permalink
      outubro 5, 2013 8:09 pm

      Você acha que a relação de custo-benefício desta forma de divulgação é boa? Ou é somente melhor do que divulgação nenhuma?

    • Alex permalink
      outubro 9, 2013 8:49 pm

      Concordo que tais programas, muitas vezes (não normalmente) despertam a curiosidade de algumas pessoas (não muitas). O que vejo é que muitas vezes as pessoas que assistem e se enlouquecem (no bom sentido) com tais programas são aquelas que estão propensas a tal, ou seja, crianças que possuem algum outro estímulo científico ou adultos leigos que também o tenham. Em contrapartida o que o colega autor do comentário acima, expõe é que, para a maioria das pessoas, tais documentários ou o sensacionalismo fundamentado em ideias impactantes em excesso (às vezes até furadas) criam e ajudam a aprofundar mitos que as afastam da realidade científica, que não é o bicho de 10 cabeças (mais que 7) que a sociedade prega. Então sim: Para algumas pessoas, aparentemente muitas, pelo que mostra o autor acima, esse tipo de divulgação se mostra danosa. Eu não eliminaria a ideia de mostrar a Ciência show, com algum toque sensacional, mas um toque sensacional com os pés no chão, mostrando as coisas de maneira simplificada, como um grande exemplo que foi dado alguns anos atrás com Carl Sagan em Cosmos…

  2. Dímitri Molina permalink
    outubro 5, 2013 10:41 pm

    Eu não acho que seja tão exagerado assim. Nesses programas são apresentadas muitas coisas interessantes que colocam o leigo em contato com esse mundo novo. Por mais que tenha parcialidade demasiada, como é um área em que não há respostas, você cai no mesmo debate das ciências humanas: qual é o sistema econômico ideal? Socialismo, Capitalismo, Comunismo ou outro?

    Como é uma pergunta sem resposta cada um defende a sua teoria, Marx, Adam Smith e sei lá quem mais. Se eles tivessem programas de TV seria assim. Só acho que vai do bom senso daquele que está assistindo não achar que aquilo é um curso de física.

    Acredito que esse tipo de programa tenha intuito de colocar o leigo em contato com o assunto. Na verdade é bem menos sério do que é passado para o público quanto à Medicina, pois de fato não faz diferença para o não-pesquisador se existem cordas ou não, se existe o big bang ou não. É inofensivo, pelo menos muito menos do que uma teoria médica problemática. Mas tudo bem, não custava nada dizer: a física quântica ainda é um bebê e essa é a teoria do fulano que explica x,y ou z. Nisso eu concordo. Mas o cara acredita naquilo então irá defender aquilo com unhas e dentes.

  3. outubro 5, 2013 11:55 pm

    Isso não é só de física: em todo campo do conhecimento vai ter gente querendo criar uma imagem de que as coisas são mais complicadas do que na realidade são. Mas acho que ainda sim não é de todo ruim, além do mais, geralmente dá pra tirar coisas úteis destes programas e muita gente fica estimulada para buscar mais informações.

  4. dezembro 10, 2013 11:34 am

    Meu problema foi bem pior. Ao terminar meu curso pre vestibular para ingressar no curso de astronomia, tive uma decepção. Ao conversar com meu professor de física, num papo longo apresentei minhas ideias sobre cosmologia. Eu era contra o big bang, a expansão do universo, a inflação cosmológica e uma série de esquisitice da teoria padrão. Ele me aconselhou desistir da física porque eu não servia nem para ser professor. Fiz isso.

    • abril 4, 2014 12:57 pm

      Pois não deveria ter feito! O que o seu professor fez foi o que muitos aqui desse blog fazem… não aceitam teorias que são contrárias às deles e descem o pau, mas eles esquecem que estão falando de fisicos renomados com muitos anos de experiência, que são respeitados em qualquer grande universidade do planeta. Você acha mesmo que se tais homens não fossem tão fodas, Harvard daria algum crédito à eles e até mesmo os contratariam para dar aulas em seus cursos? Por favor né, … acho que os físicos aqui desse blog e de muitos outros deveriam é se unir e não depreciar os outros… Você não precisa acreditar em uma ou outra teoria, mas é importante saber que se tiver a mente fechada para as bizarrices da fisica, você definitivamente não serve para essa ciência que é tão linda…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: